“O preparo é estar bem descansado e alimentado”

sábado, 21 de abril de 2012

Por Dener Sabino

Japinha acredita no crescimento
cultural da Zona Leste
(Arquivo Pessoal)
 Ricardo Di Roberto, baterista, tocará no Sampa Music Festival 6 com suas duas bandas de hardcore, CPM 22 e Hateen. Japinha, como é conhecido, se apresentará dia 22 de abril de 2012 no Espaço Victory, Penha. Em 2011 durante o Rock in Rio, o vocalista Corey Taylor teve experiência parecida tocando seu post-grunge da Stone Sour e o nu-metal de Slipknot no mesmo evento, porém, em dias diferentes, 24 e 25 de setembro, respectivamente. Nesta entrevista para a Agência Radar Jornalístico, Japinha nos conta um pouco sobre as expectativas sobre o evento.




Agência Radar Jornalístico - Como está a expectativa de participar do evento?
Ricardo Japinha: A expectativa é grande e boa, afinal, é um dos grandes shows do circuito de São Paulo. Tanto a banda quanto o público já vêm falando deste show há algum tempo, aumentando a ansiedade.

ARJ - Você tocará no Sampa com as duas bandas (CPM 22 e Hateen)? Qual a sensação e há algum preparo especial para fazer um show duplo?
 RJ: A sensação é duplamente empolgante, pois são as duas bandas que ajudei a montar e crescer, portanto pelas quais tenho muito carinho e amor. O preparo é estar bem descansado e alimentado. O resto é ir para lá com muita vontade e animação, que tudo vai ser maravilhoso. Talvez eu leve uns aditivos para tomar entre um show e outro (proteína, vitaminas).

ARJ - O Hateen teve sua origem na Zona Leste em 1994, assim como outras tantas bandas que vêm se destacando no cenário Underground com a mesma origem. Qual sua opinião sobre o grande número de bandas da região (Zona Leste) que se destacam?
RJ: Sou de lá, da Zona Leste, então sou suspeito pra falar bem. Mas sinto que é uma região de São Paulo que vem crescendo não só no sentido geográfico, mas também em termos culturais e artísticos. O desenvolvimento econômico somado à intensidade (em todos os sentidos da vida) dos moradores da ZL têm propiciado um grande potencial, em vários aspectos. Desde que montamos o Hateen no Belenzinho e na Mooca, temos tocado em shows e festivais na Zona Leste, em especial na Penha e em Itaquera. Tomara que só continue a crescer, gosto muito da ZL.

ARJ - Acredita que o evento pode tanto aumentar a popularidade de uma banda consagrada quanto revelar novas bandas para o cenário?
RJ: Acredito que todo e qualquer show, independente do tamanho, tenha essa característica. Uma das coisas que sempre falo, quando me pedem dicas para as bandas que estão começando, é sempre irem tocar onde forem chamados. Em um caso desses, um festival deste porte, mais ainda, pois a visibilidade, o boca a boca é maior. Quanto ao fato de ser consagrada ou não, penso que toda banda nunca está com o jogo totalmente ganho, muito menos seus integrantes, pois, quanto maior o voo, maior pode ser a queda.

ARJ - Gostaria de deixar um recado para o pessoal que está interessado em ir ao evento ou para os fãs de Hateen e CPM 22?
RJ: Puxa, espero que vão e curtam. Da minha parte, é certeza que estou animado e feliz por poder tocar mais uma vez na Zona Leste e na minha cidade, São Paulo. Vai ser bem legal este dia, eu acredito, então, aproveito o espaço para chamar vocês que estão me lendo para irem curtir um festival de rock que, com certeza, vai ser bem agitado.


2 comentários:

Welcome to my silence disse...

Não poderei comparecer, mas acredito que vai ser um ESTOURO!


Style!


CPM e Hateem ambas são bandas muito boas, na cena em que vivemos umas das melhores pode ter certeza. Beijos Livres,



Lipi'Z Freaks

BRUNA LINO disse...

Foi muito bom, adoro CPM22 e Hateen fazia anos que não via, na verdade só fui por conta dessas duas bandas. Adorei.

Parabénssss!!

Postar um comentário

 
RADAR JORNALÍSTICO | by TNB ©2011